Actividades complementares

Visita por Lisboa Arqueológica (Sábado, 24 Outubro)

Castelo de S. Jorge

O Castelo de S. Jorge – Monumento Nacional – integra a zona nobre da antiga cidadela medieval (alcáçova), constituída pelo castelo, os vestígios do antigo paço real e parte de uma área residencial para elites. Os testemunhos dessas vivências do passado são dados a conhecer na Exposição Permanente e visitáveis no Sítio Arqueológico.

Mais informações em: http://castelodesaojorge.pt/


Casa dos Bicos

A Casa dos Bicos, um dos exemplos mais representativos e emblemáticos da arquitectura civil da Lisboa do século XVI, contém memórias onde se cruzam vestígios de diversas épocas ao longo de cerca de 2000 anos. A Casa dos Bicos, edifício que Brás de Albuquerque, filho do vice-rei da Índia, Afonso de Albuquerque, mandou construir em 1523, após uma viagem a Itália, e que teve como modelo o Palácio dos Diamantes, em Ferrara, é desde Junho de 2012 a sede da Fundação José Saramago.

Mais informações em: http://www.museudelisboa.pt/sobre_about.html


Museu do Teatro Romano

O Museu do Teatro Romano de Lisboa está instalado em vários edifícios de distintas épocas. O núcleo centra-se na descoberta e compreensão do teatro romano, monumento edificado nos inícios do séc. I d.C.

A exposição permanente, dedicada exclusivamente ao Teatro e à época romana, está instalada num edifício seiscentista que pertenceu ao Cabido da Sé. No início do séc. XX esta construção albergou o Teatro do Aljube e, mais tarde, uma fábrica de malas. A sua recuperação arquitectónica manteve algumas das soluções construtivas anteriores, procurando mostrar as vivências deste espaço ao longo do tempo.

Mais informações em: http://www.museuteatroromano.pt/omuseu/Paginas/default.aspx


Núcleo Arqueológico da Rua dos Correeiros (NARC)

O Núcleo Arqueológico da Rua dos Correeiros (NARC) foi descoberto e escavado entre 1991 e 1995, no decorrer das obras de remodelação do edifício do Millennium BCP que se localiza precisamente na Rua dos Correeiros. Esta intervenção colocou a descoberto diversos níveis de estruturas arqueológicas identificadas com os períodos: Ibero-Púnico, Romano, Visigótico, Islâmico, Medieval, Quinhentista e Pombalino.

Mais informações em: http://ind.millenniumbcp.pt/pt/Institucional/fundacao/Pages/fundacao_NARC.aspx#viagem

 

Centros de Interpretación de la Muralla de D. Dinis, Banco de Portugal

Descoberto em 2010, durante a reabilitação da sede do Banco de Portugal, o Núcleo de Interpretação situa-se na cripta da antiga Igreja de São Julião. Corresponde a um Núcleo de Interpretação do único troço conhecido da muralha de D. Dinis, (século XIII) que separava o rio Tejo da cidade medieval e defendia-a dos ataques vindos do mar.

Mais informações em:https://www.bportugal.pt/pt-PT/OBancoeoEurosistema/ComunicadoseNotasdeInformacao/Paginas/combp20140421.aspx