PROJETO

Reunindo investigadores oriundos da União Europeia e do Brasil, o projeto Bahia 16-19 pretende converter Salvador da Bahia num observatório das interações que tiveram lugar na área atlântica entre o início da colonização portuguesa e o fim do século XIX. Apoiando-se na importante renovação historiográfica destas últimas décadas sobre a América portuguesa, marcada tanto pela incorporação de uma perspetiva africana, quanto pela superação da relação dicotómica entre o Brasil e a metrópole, este projeto de investigação combina várias abordagens, cruza história cultural e história social dos poderes, entendendo contribuir para a história da Bahia durante o período moderno e colocar em contacto historiografias até agora separadas. Ao mesmo tempo, adotar Bahia como tema de estudo permite instaurar uma pesquisa com uma forte dimensão comparativa e cruzada, tornando-se assim possível extravasar os estreitos limites das histórias coloniais nacionais.

A Bahia afigura-se, sem dúvida, como um excelente objeto de estudo, devido às múltiplas possibilidades de análise que essa cidade proporciona, quer em relação à história do Atlântico meridional, quer em relação às dinâmicas culturais e sociais na era posterior à independência. A partir do caso da Bahia, torna-se igualmente possível refletir sobre o conjunto da experiência imperial/colonial portuguesa, contribuindo para o debate historiográfico recente sobre história dos impérios e história atlântica.

Assim, pretende-se:
- uma abordagem que ponha em contacto distintas tradições historiográficas;
- uma abordagem que, sem deixar de ter em conta os quadros nacionais existentes no âmbito atlântico, privilegia as interações e leva a cabo uma démarche transnacional;
- um estudo que permite a variação de escala ;
- por fim, uma abordagem que experimente a variação de pontos de vista, combinando – e confrontando – o olhar europeu com o americano e o africano.